HardGamer
Para falar de Nintendo, Sony, Microsoft…

out
18

Nos jogadores e jornalistas de games sempre estamos de olho no que está acontecendo na “guerra” da nova geração de consoles. A cada pronunciamento oficial o chão treme. O Wii, o PS3 e o Xbox 360 de certo oferecerão diversão para muita gente com custos e funcionalidades diferenciadas. Não quero declarar a vitória de um ou de outro console – embora muita gente já saiba que eu prefiro acreditar na originalidade do Wii. Emfim, muitas vezes acabamos esquecendo da vida real em nome dessa nova guerra. Nos poucos momentos que paro para assistir TV, tento me atualizar com o jornal… Para a tristeza da humanidade a Coréia do Norte está ameaçando fazer o seu segundo teste com a bomba atômica. Pronto, mais um motivo para os EUA fazer guerra. A China já se declarou contra, o Japão continua com sua opinião sobre a Coréia do Norte, enquanto que a Coréia do Sul já simulou o toque de recolher com medo de ataques. Isso me lembra muito um joguinho de PSone, o Incredible Crisis. Não pela história, que trata do dia-a-dia maluco de uma família, mas pela capa do game, que tem esse carinha com a cabeça quente explodindo de raiva como no filme “Um dia de Fúria”.Incredible Crisis, para PSone.Simplesmente não dá para acreditar que as pessoas querem destruir as massas. Isso de certo vai muito mais além do que eu possa imaginar… só não sei por que as pessoas insistem em fazer guerra. Espero que isso não vá muito além. Espero que o norte-coreano acorde para a vida, não para a morte. O que isso tem a ver com games? Pouco, mas o que importa é que, seguindo o lado inverso, algumas pessoas disputam a guerra de como como divertir as pessoas sadiamente. Ainda bem que a Nintendo deixou de fazer cartas para fazer o Famicom, ainda bem que a Sony decidiu seguir a diante com o projeto do PlayStation e ainda bem que a Microsoft…

out
14

A última, ou a mais nova dos MMORPGs é pagar pessoas para ganhar levels com seu personagem em World of Warcraft por exemplo. Eu não estou falando de quando o cara para de jogar e o irmão mais novo assume o posto para deixar o personagem mais forte e com itens preciosos, com itens que podem ser vendidos até no eBay. A coisa é muito mais séria do que parece. Na China, cerca de 100.000 pessoas trabalham – sem nenhum vínculo empregado-empresa – para deixar os personagens dos outros mais fortes.

Ainda não está vendo nada demais nisso? Pois bem, vamos lá. Esse número de pessoas ficam trancadas em pequenas salas o dia inteiro, numa sala onde almoçam, dormem, jantam e jogam praticamente todo o tempo. Há uma cota para cumprir: tantos personagens tem que chegar a tal level em um tempo estipulado sabe-se lá por quem. De certo, alguém que conseguiu juntar um monte de gente que se sujeita a esse trabalho por conta de uma renda muito baixa e se aproveita dessas pessoas sem nenhum sentimento de culpa. O pior é o cara que paga para esse outro sabichão. Se você já pagou para alguém subir o level do seu personagem seja lá em qual jogo for, VOCÊ é o culpado disso.

Os “Gold Farmers” como são conhecidos, tem a missão de conseguir level, itens preciosos ou qualquer outro tipo de recompensa que torne um personagem melhor, como já falei antes. Eles recebem cerca de US$250 por mês, e desse valor ainda devem retirar uma porcentagem que vai para os seus “contratantes”. Pesquisando sobre o assunto no google e youtube, encontrei um vídeo documentário que ainda não está completo, mas aconselho a quem achar que isso é uma brincadeira, e também quem está com um sentimento parecido com o meu – de repugnância -, a dar uma olhada no vídeo abaixo.
Simplesmente eu não consigo entender como uma pessoa pode pagar alguém para passar uma boa parte do game para ela. Para onde vai a diversão? Para que a pessoa compra um jogo e não passa pelo início dele? Só para conseguir “status virtual”? Que banal…

Como se não bastasse isso, já teve gente que conseguiu fazer algo parecido no Xbox 360. Isso é uma apelação sem limites, sem falar que parece irmão menor chamando o irmão mais velho para brigar com o cara que bateu nele. Cadê as boas maneiras nos jogos online? Depois as pessoas ficam dizendo que são os brasileiros quem estragam os MMORPGs…

Bom, vamos lá. No site Level My 360, o jogador pode pagar para ter o seu Gamerscore elevado e ser tratado como o bonzão na Live – coisa que não é. Os preços variam:

500 pontos custam US$ 39,99
750 pontos custam US$ 59,99
1000 pontos custam US$ 99,99
1500 pontos custam US$ 149,99
2000 pontos custam US$ 199,99
3000 pontos custam US$ 299,99

Level My 360? Por que não Level my Brain Age?

Considero barato, visto que as pessoas que utilizam esse tipo de trapaça devem pagar caro!

Ah, agora um marketing gratuito para os meus amigos blogueiros que só escrevem “coisa fina”. O Fabão que não é um bot arrebenta no Gamer Lifestyle. Já o Guerreiro está falando sobre o MSN no 360, mas pode já ter mudado de assunto. O Bueno, blogueiro Freeko de altas horas, já deve ter mudado o post também… quando passei lá da última vez, o cara estava falando sobre frases de promoção, algo como: “Não mandem essas frases…”. O cara lá do Gamer.Br, gente finíssima tá falando sobre os blogs dos jornalistas de games que fala do Bracht, e mais um monte de jornalistas de games firmezas… é isso…a gora visita aê!😉

out
11

Calma, não é um resumo do filme Star Wars – eu não poderia falar muito sobre o assunto, nem sobre longa-metragem, não sou fã, apenas assisti, mas não sou fanático pela série. Estou falando das dezenas  de “videogames” clones que causam o atraso no desenvolvimento dessa indústria que tanto quero que prospere. Aqui eu posso falar tranquilamente sobre o assunto.

Agora, imagine a situação: vai chegando o Natal e o pai do menino ou da menina resolve comprar um videogame para fazer surpresa. Certa vez o pai ouviu o filho dizer “preisteichon” e resolveu correr atrás da peça. Pois bem, saiu procurando e acabou encontrando o PolyStation, aquele que usa fitas do NES e possui um preço bem bacana, cerca de R$ 40,00 em qualquer banquinha “especializada”. Se esse for realmente o pedido, perfeito. Mas se não for, pronto, está feita a %¨#%. Alguém vai jogar games de 8-bits no fim do ano.

Quem é o culpado disso tudo? O Pai? Claro que não, ele nem tinha a obrigação de saber o que é um PlayStation. O cara da barraquinha? Hmmm… acho que não… e é melhor eu parar de procurar culpados…  O mais assustador (ou não), é que todos os consoles/portáteis já foram desbloqueados, chipados e/ou modificados para usar midias e cartuchos piratas, no momento eu não lembro de um só que tenha escapado dos especialistas na engenharia reversa: O Nintendo DS roda jogos piratas pelo slot do GBA (que deprimente), o PS2 tem centenas de jogos que são encontrados à partir de 5 reais (muito jogo = pouco envolvimento com a trama, diversão etc = desprendimento), o Xbox parece até uma ilha de edição, dá para assistir arquivos AVI, ouvir mp3, jogar centenas de games nos emuladores e também cai na mesma categoria do PS2.

E na nova geração do Wii, PS3 e Xbox 360? Não quero arriscar nenhum palpite, mas espero que a situação atual mude. Se o Xbox 360 for lançado aqui no Brasil, e se der certo, pode servir de idéia para a Sony ou para a Nintendo – que já anunciou no dia 14 de setembro, lá em Nova Iorque, que o Wii será vendido na America do Sul, através da Latamel, como acontece com todos os produtos da empresa hoje em dia – e essas gigantes do entretenimento acabem vindo para cá também. Tenho esperança (afinal, sou brasileiro e não desisto nunca) de que isso vai acontecer. Por enquanto, só posso aplaudir quem compra jogos originais de PC, GameCube, PlayStation 2, Xbox ou qualquer outro videogame ou computador. Essa é uma das maneiras de impulsionar a indústria de games no país. O trabalho que é feito com os games de PC já é um ótimo começo. Jogos vendidos por R$99, na promoção por R$69 realmente tornam a coisa mais interessante… penas que eu não gosto muito dessa “plataforma”. Coisas, trecos e cacarecos que você deve evitar a qualquer custo:

O clone pobre do PlayStation.

O PolyStation. Decepção bem baratinha.

PolyStation (o clone), PlayStation (o clonado) e um VCD Player (Sim, mais um clone)

Clone, clonado e outro clone. Sem comentários.

POP Station? Simmmm.

POP Station. Esse não toca Mp3, não passa filme e os jogos são uma tremenda ¨%$%¨*.

Duas telas, uma funcionando… ou não.

Assistam ao vídeo abaixo para entender melhor do que se trata!


Fujam do “Ataque dos Clones”!